NOTÍCIAS    |    REVISTAS    |    ED. DIGITAL    |    BLOGS    |    ASSINE JÁ    |    LIVROS
assista o vlog atual aqui
veja mais vídeos
MOJAVEBLOGNOTÍCIASARTIGOSFOTOSVÍDEOSFAST COACHINGTREINAMENTO/PALESTRACONTATO
veja mais posts   
 

28/12/2011 22:33:38
Retrospectiva 2011, planos para 2012 e outros pensamentos

Senhoras e Senhores,

Sim, 2011 foi um ano bom, nem tanto pelas questões financeiras (que poderiam ter sido absurdamente melhores), mas estou falando pelo caminho que foi aberto, com novas portas surgindo e mantendo um espaço cada vez mais meu.

Em 2010, tenho plena convicção de que meus resultados falaram por si próprios e que tive o melhor desempenho entre os brasileiros no ano, contando com o título do WSOP Circuit e mesas finais de grandes torneios como o WSOP Europe e o English Poker Open, jogando em fields complicadissímos.

Foto (mesa final do English Poker Open):


Mas como eu disse, 2011 foi um ano de afirmação não somente frente a mídia e outros jogadores sobre o que pensam e acreditam sobre onde posso chegar, mas pra mim mesmo.
Outra deep run num grande evento de Pot-Limit Omaha (já era a 6a. expressiva e realmente tinha que dar alguma repercussão).


No final de 2010, quando estava na mesa final do English Poker Open, fui entrevistado logo antes de comecar a mesa final, com as seguintes palavras: Como você se sente sendo o jogador mais forte dessa mesa final? Bom, coincidência? Pode ser, mas o que eu quero dizer é que Matt Frankeland e Fabian Quoss estavam naquela mesa final, dois jovens talentos, e eu não sou mais visto desse modo fora do país.

Aqui uma entrevista (em Inglês) após o sétimo lugar no World Series of Poker Europe que me deu "back-to-back final tables" em major events pela primeira vez na carreira:



E o respeito veio bater em minha porta justamente em 2011. Com os resultados na WSOP sendo 10o. Stud Hi-Lo, 14o. Pot-Limit Omaha e 25o. no HORSE, todos em eventos Championship (10k de buy-in), meu nome estava saindo da lista das dúvidas, mesmo não tendo um grande título na carreira, mas devido a um fato chamado CONSISTÊNCIA.

Com uma carreira construída de degrau em degrau, 2011 foi o ano de escalar mais um degrauzinho e finalmente ter a convicção e a consciência de que 2012 pode ser o ano do salto.

É fato de que ele vem, mas como desde 2008 vemos minha carreira de jogador profissional de Poker em ascenção, eu também sei que uma hora a gente vai ter que dar um passo para trás. E a melhor notícia talvez seja que, apesar de estar preparado agora para saltar, estou mais preparado ainda para dar um passo para trás se for preciso. Vou fazer 29 anos e não sou mais nenhum jovem. Essa experiência vem pra me dar tranquilidade e serenidade pra tocar o barco, seja lá o que vier pela frente, tendo a certeza de que eu vou estar preparado pro que der e vier e seguir com um alto grau de comprometimento com a minha carreira para que eu possa manter essa consistência que me rendeu frutos até hoje.

A perda do Full Tilt foi muito grande. O site tinha grandes planos para mim e eu estava muito animado. Não estava preparado para uma perda financeira tão grandiosa, recuando bastante as minhas pretenções de curto e médio prazo (ninguém sabia disso, mas o meu contrato com a empresa era de longo prazo). Como eu vinha trabalhando com um planejamento bem traçado, foi possível me manter na linha e de um modo ou de outro sair dessa história ate fortalecido, simplesmente por aprender a lidar com certos tipos de planejamentos, pois esperança não tem nada a ver com isso.

Se por um lado tive essa perda de um patrocinador estimado, por outro lado tive um feedback super positivo, com empresas que eu já trabalhei me propcurando para uma nova negociação, além de novos nomes.

Outro ponto muito importante foi o fortalecimento da minha relação junto à Tv Poker Pro, agora fazendo parte do quadro de talentos da nossa exclusiva emissora do Poker. Estou mais que animado para os projetos de 2012 e junto com a empresa tenho certeza que mais acordos vão pintar por aí. Sei que isso é um reconhecimento sobre o meu trabalho e esforço, inclusive fora das mesas.


Muita gente se engana, achando que eu sou sócio da mesma e não tem nada disso. Que fique bem claro que eu sou parceiro da empresa e estou muito contente com essa parceria que vai dar o que falar em 2012. A turma de la é muito séria e competente e temos objetivos em comum.

Fato este posto a mesa, por ser um jogador INDEPENDENTE e sem vínculos a nenhuma empresa, posso fazer muito bem o meu papel como nome-referência no poker brasileiro, sempre apontando pontos positivos e também os pontos a serem trabalhados pelas empresas que nos atendem nesse nosso mercado emergente.

Fiz críticas ao BPT quando tinham de ser feitas e sou amigo de todos da organização da empresa, assim como fiz elogios quando tinha que fazer. A mesma coisa ocorreu com o BSOP. Eu tenho uma classe: A de jogador profissional de poker e parte da minha responsabilidade é defendê-la, sempre buscando o que é justo e correto para os jogadores, com o maior bom senso do universo. As empresas podem fazer mais e merecemos mais e eu vou estar lá pra cobrar, com o intuito de melhorar o poker em geral no Brasil.

Se eu acho que o Campeonato Brasileiro de Poker precisa ter 1 hora de blinds, eu não estou falando isso à toa, não quero denegrir a imagem de ninguém, muito menos de meus amigos que comandam a empresa. Acontece que o CAMPEONATO BRASILEIRO precisa ser parâmetro e eu julgo que nao é possivel ter esse padrao mínimo de qualidade para desenvolvimento de jogo com menos de 1 hora de blinds. É uma questao especificamente técnica e não vai absolutamente contra ninguém.

A empresa precisa se render ao que eu acredito ser correto visando exclusivamente a melhoria da disputa esportiva? Parte sim, parte não.

Sim, porque o meu ponto de vista é muito relevante e sempre muito pertinente. Não, porque a empresa precisa se adequar a mil fatores para tornar isso possível e nem sempre será viável.


Os pontos que eu levanto são sempre os pontos que precisam e/ou podem ser melhorados. Faço isso comigo mesmo todo tempo. Não existe nada pessoal, pelo contrário, como eu já disse e mais uma vez até se tornando repetitivamente redundante e chato pra ficar bem claro, meu apoio sempre foi incondicional e vai continuar sendo, mesmo se nada mudar, mas com o crescimento do poker e sua profissionalização, o jogo em si e a sua estrutura precisam evoluir de acordo.

Aliás, se existisse algo pessoal, eu nunca abriria a boca pra falar dos negócios dos meus melhores amigos na vida e no poker, e tudo ficaria do jeito que está e pronto.

O poker está evoluindo e nós precisamos evoluir junto e buscar atingir um padrão internacional, assim como já temos em vários quesitos.

Ninguem é dono do Poker no Brasil. Espaço tem para todos mostrarem seu trabalho, seja no lado do jogo ou no lado dos negócios. Ocorre que não somos mais 40 jogadores apenas, somos milhares e com isso a concorrência vai surgir e a disputa por contratos, circuitos e representações vai rolar muito mais forte e eu espero que ela seja a mais sadia possível, pois afinal de contas estamos todos no mesmo barco. E que ninguém confunda a intenção e a índole que eu tenho.

Tenho certeza que muita coisa mudou e melhorou depois que eu comecei a levantar a bola sobre vários assuntos, debater, etc. Sempre fiz isso. Um exemplo disso: Tive uma conversa "reclamando" com a Overbet Eventos (também são todos amigos meus, assim como os organizadores do BSOP) que organizam o LAPT e o BPT sobre os torneios de Omaha e Mixed Games. Eles anunciaram que teríamos torneios desse porte para a Grande Final do circuito em 2012. Mas quando foi anunciada a tabela de torneios, não tinha nenhum torneio de Omaha decente (já que todos são Turbo) e Mixed Games para eles era um torneio que muda de Texas para Omaha a cada nível de blind. Brincadeira de mal gosto e óbvio que eu fui cobrar: Cadê a estrutura legal pra se jogar Omaha e onde estão os Mixed Games com as outras modalidades de Poker que foi anunciado previamente?

Vocês entendem? Eu não estou criticando nada a toa, eu estou querendo que isso seja desenvolvido no Brasil, que os jogos tenham boa estrutura e que possamos aprender e praticar novas modalidades, que essa cultura seja criada.

A empresa deles, com muita atenção e respeito a critica que fiz no twitter e via e-mail, me respondeu que possivelmente teremos uma melhora estrutural nos próximos eventos e que para essa temporada não seria possivel, já que segundo sua política de trabalho cada passo teria que ser dado de cada vez.

E está perfeito, muito obrigado pela resposta. Por mais que eu acredite que já seria plenamente possível dar um passo maior agora, quem sou eu pra discutir a estratégia da empresa? É esse tipo de discussão sadia que eu tinha a intenção de gerar, cobrando respostas e "por ques" e, uma vez respondido, já sabemos quais são os planos da empresa, mesmo se não mudar nada.

Ano após ano o ranking do BSOP continua uma lástima! Essa é a minha opinião e acho que eu tenho razão absoluta. Por que a empresa não muda? Por que não adota um ranking de sucesso de outra série? Porque vive inventando um ranking?

Essas são minhas indagações e eu espero respostas convincentes e nem sempre sou tratado com o mesmo respeito. Agora o que isso tem a ver com os planos da empresa ou impossibilidades técnicas, físicas ou coisa do gênero? Nada. E tudo que eu pontuo é sobre isso e nada mais, não estou criticando porque eu quero me meter em algo que eu não devo. PELO CONTRÁRIO! Aqui eu tenho que meter a mão mesmo e cobrar porque o ranking não se ajusta.

Além de cobrar, já inclusive dei a solução e/ou sugestão para o problema tempos atrás. Ficou muito feio ver outra vez o campeão brasileiro ser o campeão da maior etapa, assim como se o Player of the Year do WSOP fosse sempre aquele que ganhasse o Main Event. Aqui ficou provada a falta de capacidade de ouvir os jogadores, mas parte disso é fruto da nossa desorganização.

Já está em criação agora mesmo para entrar em vigor em 2012 a associação dos jogadores profissionais de poker que eu estou fundando, orgão que vai cuidar dos nossos direitos e assim tendo a certeza de que sempre seremos ouvidos, já que somos a parte principal de todo esse negócio, e agora representados. Todos jogadores associados serão membros ativos e votantes. Vou buscar recursos e debates junto à CBTH (Confederação Brasileira de Texas Holdem) para suporte e viabilizar esta organização onde todos seremos responsáveis por ela, mas também usufruiremos de sua estrutura, seja para ações, consultas, e assim teremos nossa voz sendo devidamente ouvida. Eu não tenho nenhum interesse pessoal que não seja ver a nossa classe representada e um caminho traçado e muito bem organizado trazendo vida longa ao nosso esporte. E é justamente por isso que posso fazer esse papel. Entendo que, sendo patrocinado ou sócio de alguma empresa, essa relação pode mudar justamente por conflitos de interesses, o que não é o caso aqui.

2011 foi um ano fantástico para a consolidação do Poker como esporte da mente, já que o mesmo foi aceito pela IMSA (International Mind Sports Association) e corre sérios riscos agora, inclusive, de se tornar um esporte Olímpico (já participaremos obviamente dos Jogos Olimpicos dos Esportes da Mente). A CBTH faz um trabalho brilhante e vem ajudando muito o nosso esporte na luta de seu reconhecimento no Brasil, agora fortalecida pela IFP (International Federation of Poker), sendo uma das parceiras principais da organização.

E junto com tudo isso, tivemos o primeiro campeonato mundial de poker OFICIAL, ou seja, organizado pela IFP e pela IMSA, no qual eu tive o prazer de ser convocado para a Seleção Brasileira e ajudar nossa equipe a ser vice-campeã mundial nessa primeira edição. Emoção enorme em representar meu país fazendo o que eu mais amo e escolhi fazer. Pura satisfação e sensação de dever cumprido.

Mas a luta continua. Meus objetivos para 2012 são muitos dentro do plano das mesas e fora delas. Espero ter mais um bom ano, tanto nos torneios, quanto nos cash games e inclusive ajudando na organização do esporte em nosso país da maneira que for possível e onde eu achar que eu possa contribuir.

Eu nunca negligenciei os torneios locais, pelo contrário, mesmo quando parti pro circuito internacional. Minha carreira sempre foi muito balanceada e espero que em 2012 eu consiga jogar muitos torneios pelo Brasil afora. Este ano inclusive, tive excelentes resultados no BSOP, contando com uma mesa final no Main Event com mais de 1000 participantes em São Paulo, assim como nos eventos paralelos High Roller e de Omaha.

Vocês devem imaginar qual deve ser a dificuldade em atuar bem nos jogos mais complexos contra os melhores profissionais do mundo, mixando com participacoes em fields tão diferentes como do LAPT e do BSOP. E é por isso que tenho plena certeza que 2011 foi mais um ano em que mostrei o meu valor.

Como diria o ditado popular: Contra fatos não há argumentos. Fico feliz em poder basear a minha carreira em fatos, porém mais feliz ainda em saber que eu estou me preparando muito bem para continuar mostrando meu potencial e desenvolvendo bem a minha carreira de modo balanceado e saudável.

Este 2011 foi também o ano que eu investi mais em treinamentos e palestras, plano este que eu pretendo alavancar para 2012. Tive um retorno muito positivo, tanto sobre os treinamentos e palestras, quanto sobre minhas colunas escritas para as principais revistas de poker do Brasil, além dos sites de treinamento (vide minha parceria com a PokerStrategy). Percebi realmente que meu lado didático e criativo podem trabalhar em conjunto e que posso ser um grande instrutor, fato este que me credencia a melhorar muito como jogador, já que ensinar significa rever os meus próprios conceitos e lapidar meu próprio modo de pensar constantemente.

Do mais, queria agradecer muito à todos vocês que acompanham minha carreira carregando a bandeira do Brasil por aí afora desde o começo e que estão sempre me dando uma força enorme. Saibam que eu também estou sempre do lado de vocês tentando ajudar e desenvolver o poker aqui no Brasil cada vez mais.

Feliz 2012!

Felipe Mojave Ramos

Comentários (1)

NICECAAT
É isso ai Moja, sempre lutando para a evolução do nosso esporte "POKER'", espero que voce seja ouvido e que o esporte evolua mais ainda em 2012 e quanto a voce, espero que alcance a evolução desejada nos seus resultados PARABENS.



Comente Nome Digite o código abaixo:


 
® www.felipemojave.com.br - Powered by Card Player Brasil - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.